Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Dias Felizes

Dias Felizes

Escritos Políticos I

Em puto, na casa da avó Vessadas, havia um hemiciclo doméstico. Avó monárquica (do PPM), mãe de direita, tio anarquista, tio comunista, tio socialista e vizinhança do reviralho. Volta e meia apareciam os tios do Algarve, do Rasmalho, uma dupla de agitadores ateus e bem humorados de quem ouvia os ensinamentos mais afins do meu espírito de Robinson das avenidas novas. Os livros das estantes falavam de rapaziada dada às viagens sem destino e nas traseiras de casa ficava o aeroporto, onde um dia, nas imediações, chegou a notícia de uma tragédia. Sá Carneiro e Amaro da Costa tinham morrido e com eles a quimera da AD. Em casa a AD e a APU e as forças do PC e dos bigodes carlistas digladiavam-se como mais tarde vim a ver, como repórter, na ferocidade satírica das bancadas de S.Bento. Tal como na Assembleia, havia tanto de comédia como de farsa ou mesmo tragédia, nos debates caseiros, que por vezes acabavam com sobremesas amargas. Um dia chegou um pastor alemão lá a casa, um cachorro a quem chamaram de Smic, em louvor de Etore Scola. Privado da sua liberdade, o Smic trucidou as pilhas de jornais do Avante e do Diário de Lisboa, deixando o tio comunista em estado de anabiose como uma salamandra siberiana. Eu crescia entre a catequese de S.João de Brito, o enigmático apelido Salazar, parente remoto do Oliveira, de quem nada sabia a não ser de andar com as solas rotas, e as orações marxistas-leninistas como o santo e senha do novo homem. Por milagre fiquei profano, sobrenado a banhos lautos de pia baptismal, sem que me desse, de então para cá, mais do que o deleite de profanar - sem recurso a facas sarracenas - todos os crentes nas virtudes lenitivas do que quer que seja. Cruzes, canhoto, para os que vêem em tudo o que é vermelho papões ou ajuntamentos fascistas nos solidários da direita. Quando me perguntam das minhas tendências com um apelido destes, apenas respondo que tenho um membro (salvo seja) em forma de seta castrense, e é com ele que escrevo as minhas memórias de animal político.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Favoritos

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D